Motores Diesel

Motores ciclo diesel

Funcionamento básico de motores.

Para saber como funciona um motor ciclo diesel, é interessante saber também como funcionam outros motores a combustão interna como os motores “4 tempos” também chamados de “Ciclo Otto”.

Os motores ciclo Otto, receberam esse nome devido ao primeiro engenheiro a fabricar um motor com essa construção, o engenheiro alemão Nikolaus Otto apesar do direito de patente do motor ser de outro engenheiro, o francês Alphonse Beau de Rochas.

O funcionamento básico do motor 4 tempos, independente do combustível utilizado é resumido em quatro etapas: admissão, compressão, combustão e exaustão.

Na primeira etapa as válvulas de admissão se abrem permitindo que uma mistura de ar e combustível entre na câmara de compressão enquanto o pistão desce puxando a mistura para dentro do cilindro.

Na segunda etapa as válvulas se fecham enquanto o pistão sobe, aumentando a pressão da mistura ar-combustível no interior do cilindro, fazendo com que a mistura se aqueça.

Na terceira etapa, já com o pistão no topo uma centelha é liberada pela vela de ignição, fazendo com que a mistura aquecida entre em combustão, empurrando o pistão para baixo promovendo o movimento da arvore de manivelas (também chamada de virabrequim).

Na quarta e ultima fase do processo,  enquanto as válvulas de exaustão se abrem o pistão sobe novamente expulsando os gases resultantes da queima, permitindo assim que o processo se repita.

Funcionamento do ciclo diesel

O funcionamento do ciclo Diesel é extremamente semelhante ao ciclo Otto. Os motores a Diesel foram inventados pelo engenheiro alemão Rudolf Diesel, sendo que sua patente foi concedida apenas 20 anos antes de seu falecimento.

Assim como no motor ciclo Otto, o funcionamento do motor a diesel pode ser resumido em quatro etapas muito semelhantes as do ciclo Otto.

Na primeira etapa, as válvulas se abrem para permitir a entrada de ar no cilindro enquanto o pistão desce.

Na segunda etapa , as válvulas se fecham enquanto o pistão sobe, levando o ar a altas pressões fazendo com que ele se aqueça a cerca de mais de 600 ºC.

Na terceira etapa, pouco antes do pistão chegar ao ponto mais alto de seu curso, pequenas gotículas de combustível são liberadas na câmara de combustão fazendo que ambos se aqueçam e a combustão ocorra de forma espontânea.

Na quarta etapa, a expansão dos gases que se dá devido à combustão, faz com que o pistão se desloque para baixo movendo à árvore de manivelas (virabrequim), nesse momento as válvulas de exaustão se abrem permitindo a saída dos gases da combustão, permitindo que o pistão suba novamente e todo o processo se repita.

Peculiaridades dos motores a diesel

Enquanto motores a gasolina usam uma taxa de compressão que varia de 8:1 a 12:1, nos motores a diesel essa taxa pode variar de 15:1 a 25:1, sendo nítida a diferença de torque desses motores.

Em geral, como o processo de combustão se dá pelo aumento da temperatura do ar no interior da câmara, não há a necessidade de existir velas de ignição, porém pode ocorrer de em dias mais frios devido a diferença de pressão atmosférica e temperatura do ar, o processo ser dificultado, sendo assim, muitos motores a diesel utilizam também velas de ignição para auxiliar no processo.

Justamente devido à utilização do sistema de injeção direta, os motores a diesel realizam o trabalho com um consumo menor e potencia maior que os motores a gasolina de mesmo porte. Sendo assim pode-se afirmar que o rendimento de um motor a diesel é muito maior que o de motores “comuns”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *